BLOG

quinta-feira, 11 de outubro de 2012

CORAL DE CAPOEIRAS



Comunidade de Capoeiras Ganha Coral

Iniciativa cultural é da Associação dos Funcionários da Dígitro, que conta com o apoio da empresa, a partir de recursos da Lei Municipal de Incentivo à Cultura

Um ano após criar um Coral composto exclusivamente por colaboradores da Dígitro, a Associação de Funcionários da empresa (Agitro) está agora presenteando a comunidade do bairro de Capoeiras com um coral de formação mista, integrado também por crianças e adultos.

O novo projeto leva o nome de “Coral de Capoeiras”, para homenagear o bairro onde a Dígitro está instalada, e conta com a coordenação artística do cantor, arranjador e instrumentista Giovane Cascaes Pacheco. A coordenação operacional é da própria Agitro.

O Coral conta com apoio cultural da Dígitro, e é totalmente patrocinado pelo Município de Florianópolis por meio da Lei Municipal de Incentivo à Cultura.  Além de manter a formação original, com colaboradores da empresa, o novo Coral de Capoeiras abriu vagas junto à comunidade para crianças e adultos, com vagas limitadas.

Os interessados terão acesso às aulas de canto, preparação vocal e participarão de ensaios regulares. O projeto define ensaios em separado e conjuntos, para os grupos de adultos e crianças, e prevê quatro apresentações para a comunidade.

De acordo com Ednilson Hummig, Executivo Líder de Marketing da Dígitro, a criação do Coral de colaboradores, há um ano, acarretou numa experiência extremamente positiva de integração entre as pessoas no ambiente de trabalho e ajudou a abrir um espaço de convivência na empresa para os familiares e amigos dos colaboradores. “É esta experiência estimulante que agora estamos estendendo às pessoas da nossa cidade e, especialmente, das comunidades vizinhas”, afirma Ednilson.

O Coral de Capoeiras – ainda na sua formação original – se apresentou na sede da Dígitro, no início de setembro, como parte das comemorações dos 35 anos da empresa. O ponto alto da apresentação foi a canção “Maria, Maria”, de Fernando Brandt, que tornou-se conhecida na voz de Milton Nascimento.

As inscrições para o Coral estão abertas.  Informações através do e-mail: contato@digitro.com.br ou pelo telefone: (48) 3281-7020.

quinta-feira, 27 de setembro de 2012

Ação Social ABRASEL SC


Visitas a restaurantes e shoppings irão proporcionar nova experiência a crianças carentes da Capital
Iniciativa da Abrasel deve levar mil crianças a 10 restaurantes e quatro shoppings na primeira semana de outubro

Crianças que nunca puderam ir a um restaurante ou visitar um shopping center,  na primeira semana de outubro terão esta oportunidade. O projeto Semana Solidária da Criança, idealizado pela Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel), levará cerca de mil crianças a 10 restaurantes e aos quatro shoppings de Florianópolis, entre os dias 1º e 5 de outubro, em comemoração ao Dia das Crianças. O lançamento do projeto será na segunda-feira (1º), na Alameda Casa Rosa, e contará com a presença de 250 crianças, além do padrinho do evento, Guga Kuerten.

Mais do que celebrar o seu dia, o projeto busca oportunizar as crianças a se depararem com um ambiente que elas não possuem nenhuma familiaridade. “É uma forma de proporcionar uma nova experiência para as crianças, já que a maioria provavelmente nunca foi a um restaurante ou a um shopping”, destaca Fábio Queiroz, presidente da entidade em Santa Catarina.

Durante os cinco dias do projeto, crianças de escola municipais, creches, abrigos e orfanatos da cidade irão visitar os estabelecimentos participantes, onde farão uma refeição, participarão de brincadeiras, sessões de cinema e oficinas. De acordo com Queiroz, essa é uma forma de estimular as crianças a batalhar pelo futuro. “Elas poderão conhecer e se interessar pelo setor. Quem sabe não teremos entre eles futuros empresários ou renomados chefes de cozinha?”, arrisca.

Restaurantes e shoppings participantes:

Dia 1º - das 14h30 às 16h - Alameda Casa Rosa
Dia 2 - das 9h30 às 11h - Ponta das Caranhas
Dia 2 - das 10h00 às 11h30 - Shopping Itaguaçu
Dia 2 - das 14h30 às 16h - Absoluto Chopp Bar
Dia 2 - das 14h30 às 16h - Papparella
Dia 3 - das 15h às 17h - Floripa Shopping
Dia 3 - das  9h30  às 11h - Amoratto
Dia 3 - das 14h30 às 16h - Cantina Di Bernardi
Dia 3 - das 14h30 às 16h - Ostradamus
Dia 4 - das 14h30 às 16h - Sopping Iguatemi11
Dia 4 - das 15h às 16h - Miyoshi
Dia 4 - das 14h30 às 16h - Antonios Restaurantes
Dia 4 - das 15h30 às 17h - Macarronada Italiana
Dia 5  - das  10h às 11h30 - Beiramar Shopping
Dia 5  - das 14h30 Às 16h - Pizza na Pedra da Lagoa
Quem quiser ser voluntário, recepcionando as crianças em um desses dias e horários, em qualquer um desses restaurantes, entre em contato com Andréa através do e-mail abraselsc@abrasel.com.br PARTICIPE!

quarta-feira, 5 de setembro de 2012

EDITAL DE PATROCÍNIO CULTURAL ELETROBRÁS 2013



O Programa Cultural das Empresas Eletrobras 2013 vai destinar R$ 13,33 milhões para apoiar projetos de todo o Brasil em três segmentos: teatro, audiovisual e patrimônio imaterial.

1. Fomento ao teatro
Busca criar condições que colaborem com o crescimento da produção teatral brasileira, sua profissionalização e a qualificação dos quadros artísticos e técnicos, bem como com a sua difusão, compreensão e discussão, estimulando a formação de plateias. Este segmento envolve quatro áreas: produção de espetáculos para o público adulto, teatro infanto-juvenil, circulação de espetáculos e festivais de teatro.

2. Fomento ao audiovisual
As metas são promover a cultura cinematográfica brasileira e formar plateia, apoiando tanto a produção de filmes de longa-metragem quanto a sua difusão e divulgação por meio de festivais. Nosso objetivo é revelar e chamar a atenção para obras de qualidade que contribuam para o progresso da arte cinematográfica e incentivem o desenvolvimento e a criação de polos da indústria do cinema no Brasil. Este segmento envolve duas áreas: produção de filmes de longa-metragem e festivais de cinema.

3. Fomento ao patrimônio imaterial
Apoio a projetos que promovam a identificação, a documentação, o reconhecimento, a investigação, a preservação, a proteção, a promoção, a valorização, a transmissão, a difusão, a revitalização e a salvaguarda de bens culturais de natureza imaterial e suas criações culturais fundadas na tradição e manifestadas por indivíduos ou grupos de indivíduos como expressão de sua identidade cultural e local, a exemplo de tradições e expressões orais; expressões artísticas; práticas sociais, rituais e atos festivos; conhecimentos e práticas relacionados à natureza e ao universo; e técnicas artesanais tradicionais.

Valorizando projetos inovadores, com alcance de público o mais diverso e amplo, e que aproximem a atividade artística do processo educativo, o Programa Cultural das Empresas Eletrobras 2013 visa levar cultura a todas as regiões do país e investir no seu desenvolvimento sustentável e na formação dos seus cidadãos.

No momento da inscrição, não será exigida: 

Aprovação do projeto pelo Ministério da Cultura (MinC) - Pronac, com vistas ao enquadramento no Programa Nacional de Apoio à Cultura de que trata a Lei 8.313/91, com suas alterações (Lei Federal de Incentivo à Cultura); 

Aprovação do projeto pela Agência Nacional do Cinema (Ancine), com vistas ao enquadramento na Lei 8.685/93, com suas alterações (Lei Federal de Incentivo à Produção Audiovisual).

No entanto, a aprovação em uma das Leis Federais de Incentivo à Cultura e à Produção Audiovisual será indispensável quando da etapa de contratação, caso o projeto seja selecionado. O proponente e o nome do projeto inscrito no Programa Cultural das Empresas Eletrobras 2013 deverão ser, obrigatoriamente, os mesmos do projeto aprovado pelo Minc/Ancine.


Inscrição: de 03/09/2012 a 03/10/2012 (o prazo de inscrição se encerra às 8h – horário de Brasília)
Seleção: de 03/10/2012 a 03/12/2012
Divulgação dos resultados da seleção: até 04/12/2012
Contratação: a partir de 10/01/2013
Os projetos selecionados neste edital que não possuam número de Pronac no Ministério da Cultura deverão ser cadastrados no Sistema de Apoio às Leis de Incentivo à Cultura (Salic) a partir de 01/02/2013.


 


terça-feira, 4 de setembro de 2012

Edital de Patrocínio Institucional da Eletrosul | R$ 500 mil

ELETROSUL abre edital de patrocínio direto para 2013, contemplando projetos culturais e esportivos desenvolvidos nos estados de SC, PR, RS, MS e RO. As inscrições devem ser feitas pelo site www.eletrosul.gov.br, onde também pode ser consultado o edital. Para este edital não é necessário ter o projeto aprovado previamente em leis de incentivo. Inscrições até 18 de outubro.

terça-feira, 21 de agosto de 2012

CENTRO HISTÓRICO DE FLORIANÓPOLIS com as aquarelas de Vera Muccillo

Será lançado amanhã em Florianópolis o projeto CENTRO HISTÓRICO DE FLORIANÓPOLIS | ROTEIRO TURÍSTICO AUTOGUIADO, realizado pela CDL Florianópolis com recursos do FUNTURISMO (SEITEC - Sistema Estadual de Incentivo ao Turismo, Esporte e Cultura de Santa Catarina). O projeto oferece ao público um roteiro turístico autoguiado pelas ruas do Centro Histórico de Florianópolis, sinalizados nas calçadas da cidade com mosaicos retratando o Boi de Mamão, figura títpica do folclore ilhéu. Os turistas e visitantes poderão conhecer os principais pontos da história da cidade através deste roteiro, tendo como suporte um guia turístico, que será amplamente distribuído em Florianópolis em locais de grande circulação de turistas, como a rodoviária, aeroporto, hotéis, restaurantes, cafés e livrarias. O projeto conta com conteúdo histórico desenvolvido pelo Sr. Antonio Pereira Oliveira, um dos pioneiros do desenvolvimento turístico de Florianópolis, e com um mapa humanizado criado pela ilustradora Vera Muccillo. Assina a produção do conteúdo a empresa PalavraCom. Para ampliar o alcance social do projeto, foram qualificados 50 guias turísticos locais, que hoje encontram-se aptos à operação do roteiro. 


quinta-feira, 16 de agosto de 2012

ACIF lança programa para financiamento de projetos em Florianópolis


O Programa de Apoio a Projetos (PAP) vai destinar 50 mil reais para iniciativas nas áreas de Empreendedorismo, Cooperativismo, Geração de Emprego e Renda, Promoção da Cultura e da Filantropia. As inscrições já estão abertas e seguem até o dia 28 de setembro.

Uma boa ideia precisa muito mais do que reconhecimento para ‘sair do papel’. Precisa também de incentivo e verba. Pensando nisso e em promover o desenvolvimento de diferentes setores da economia e da comunidade de Florianópolis, a Associação Comercial e Industrial de Florianópolis (ACIF) criou o Programa de Apoio a Projetos (PAP). Pelo PAP, a entidade vai selecionar e financiar projetos que beneficiem a cidade e seus moradores. As inscrições, gratuitas, já estão abertas e seguem até o dia 28 de setembro pelo www.acif.org.br/projetos/pap.

Serão 50 mil reais para investimentos em iniciativas que devem ser executadas entre 1º de novembro de 2012 e 30 de abril de 2013, todas na Capital, e por ‘pessoas jurídicas sem fins lucrativos’, também sediadas em Florianópolis.  “Percebemos que muitas ideias boas não são colocadas em prática por que não conseguem fechar o orçamento. Temos um montante justo, porque um projeto não precisa ser mirabolante, com um orçamento extraordinário, para que seja eficaz e traga resultados positivos para a comunidade”, explica Patrícia Moschen, diretora de Assuntos Sociais da ACIF.  Segundo a diretora, “a intenção é incentivar essas boas práticas e quem sabe ser exemplo para outras entidades”, diz.

A seleção será realizada no mês de outubro e o resultado deve ser divulgado logo na sequencia. Para participarem do processo de seleção, os projetos devem ter um orçamento entre hum e 15 mil reais, e obedecer a critérios como relevância social e poder transformador; potencial de continuidade; oportunidades para voluntariados; sustentabilidade; inovação e criatividade; entre outros. 

Mais informações no site do Programa ou pelo projetos@acif.org.br.

Categorias de projetos para o PAP/ACIF

Empreendedorismo: Projetos com objetivo de desenvolvimento do empreendedorismo e as atividades relacionadas que promovam a disseminação da cultura empreendedora, inovação e crescimento econômico;

Cooperativismo: Projetos com objetivo de incentivar a cooperação, ou seja, que atenda necessidades e interesses, com igualdades de deveres e direitos para a execução de quaisquer atividades, operações ou serviços;

Trabalho e Geração de Emprego e Renda: Projetos com objetivo de promover melhoria no desenvolvimento do trabalho gerando emprego e renda para população de baixa renda; 

Promoção da Cultura e/ou Artes de Florianópolis: Projetos com objetivo promover a cultura e arte local de forma significativa e relevante para a sociedade;

Eventos e/ou Ações Beneficentes ou Filantrópicos: Projetos com o objetivo de promover eventos e/ou ações desta natureza que causem impacto positivo e significativo na comunidade em geral.

terça-feira, 14 de agosto de 2012

FUNDO NACIONAL DE CULTURA | Edital de Seleção de Projetos


Com o objetivo de fomentar e incentivar ações da cultura brasileira, o Ministério da Cultura lançou no dia 10 de agosto de 2012 o edital de seleção de projetos culturais a serem financiados através do Fundo Nacional de Cultura. Através deste mecanismo, não há a necessidade de buscar patrocinadores, como na Lei Rouanet. O recurso total disponibilizado é de R$ 10,5 milhões e as inscrições devem ser feitas, esclusivamente via SalicWeb, até a data de 24 de setembro de 2012.

Podem ser proponentes de projetos as entidades sem fins lucrativos de natureza cultural com, no mínimo, 03 anos de funcionamento, e as entidades de administração pública, assim como as autarquias, fundações e universidades.

Os projetos podem ser propostos em 05 categorias diferentes, sendo elas:

CATEGORIA 01 | Projetos que fomentem ou desenvolvam atividades voltadas para o processo de criação, formação, promoção, difusão, produção, divulgação e circulação, fruição de bens, serviços e expressões artísticas e culturais brasileiras. MÍN R$ 100 mil MÁX 500 mil por projeto.
CATEGORIA 02 | Projetos que fortaleçam espaços, redes e circuitos culturais, considerando os seguintes eixos: a) cultura e diversidade; b) cultura e cidadania; c) comunicação e cidadania; d) gestão e redes; e) redes criativas e colaborativas; e f) redes de cooperação e sistemas locais de inovação. MÍN R$ 100 mil MÁX R$ 250 mil por projeto.
CATEGORIA 03 | Projetos que visam implantar, ampliar, modernizar e recuperar espaços culturais de acesso público, por meio de construção, reforma, aquisição de equipamentos e material permanente. MÍN R$ 250 mil MÁX R$ 500 mil por projeto. Desta categoria não podem participar as entidades sem fins lucrativos.
CATEGORIA 04 | Projetos que visam preservar, identificar, proteger, valorizar e promover o patrimônio cultural brasileiro, fortalecendo identidades e criando condições para a sustentabilidade. MÍN R$ 100 mil MÁX R$ 250 mil.
CATEGORIA 05 | Projetos voltados ao fomente de atividades, difusão de conteúdos e estímulo à inovação audiovisual. MÍN R$ 100 mil MÁX R$ 250 mil.

Os projetos devem atender aos objetivos das políticas públicas de cultura nacional, expressos no art. 4o. da Lei 8.313/1991 e art. 2o. do Decreto 5.761/2006, e não podem se enquadrar em outros editais vigentes do Ministério da Cultura e suas Institutições Vinculadas. Abaixo os links para consultar os artigos supracitados e os editais vigentes. 


Cada proponente poderá inscrever apenas 01 projeto por categoria. Os projetos devem ter cronograma de execução previsto para início entre dezembro de 2012 e dezembro de 2013 e encerramento até dezembro de 2014. Não podem ser incluídos custos administrativos. Os projetos devem obedecer os critérios da Lei de Acessibilidade (prever acessibilidade para deficientes físicos) e podem ter seus recursos complementados por outras fontes. O edital não permite despesas de publicidade, salvo de caráter educativo, informativo ou orientação social. Não podem ser contemplados projetos para realização de eventos de entidades privadas sem fins lucrativos, a não ser para eventos culturais tradicionais de caráter público, que sejam realizados há no mínimo 05 anos, de forma ininterrupta. 

Todos os projetos devem oferecer contrapartida de 20% do total, sendo ela financeira ou em bens e serviços economicamente mensuráveis.

Serão critérios de avaliação dos projetos a relevância, o desdobramento, impacto territorial, transvesalidade, acesso, estímulo à criação, promoção do conhecimento e gestão. Cada critério irá fornecer uma pontuação de 0 a 3 pontos, totalizando 24 pontos. Para aprovação do projeto será necessário, no mínimo 14 pontos. Recebrão bonificação de pontos os projetos com maior abrangência (estadual, regional, nacional e internacional), em cidades que não são capitais, em cidades de baixo índice de desenvolvimento humano e em cidades, Estados cujos sistemas de cultura estejam implantados ou em implantação. As bonificações têm o objetivo de corrigir possíveis distorções entre os projetos.

Mais informações podem ser consultadas no site www.cultura.gov.br.


A PROJETA Planejamento e Marketing oferece serviços de elaboração e encaminhamento de projetos para este Edital. 

Mais informações (48) 3025-6793 ou projeta@projetaonline.com.br

quarta-feira, 23 de maio de 2012

COM OS SAPATOS DO PATROCINADOR

Uma dos maiores desafios dos gestores esportivos é obter recursos para a realização de suas atividades. Geralmente estes recursos são provenientes de patrocinadores.

Não há melhor forma de entender o patrocínio a não ser “calçando os sapatos do patrocinador”. Isto significa que para obter sucesso na captação de recursos é preciso entender o que o patrocinador faz, o que pensa, o que quer e como vê um projeto esportivo.

O fechamento de um patrocínio pode acontecer sob três instâncias diferentes e não excludentes: através de um diretor de marketing, de uma agência de publicidade ou com o presidente da empresa patrocinadora. Cada qual terá suas características.

Se o projeto chegar às mãos do presidente da empresa, a análise poderá ter caráter subjetivo. O patrocinador pode desejar realização pessoal (vontade em ajudar, gosta da modalidade, tem um filho que pratica, compartilha da mesma causa, é louco pelo time, etc.), ou levar em conta aspectos financeiros (quer ajudar com uma quantia específica, enxerga oportunidades, tem interesse em lucrar com o projeto). Neste caso, a abordagem deve ser sutil e emocional. O projeto deve vender ideias e ideais, valores e imagem.

Se o projeto for analisado e julgado na agência de publicidade, será dada atenção aos aspectos de publicidade planejados, ou seja, a agência quer saber qual será o plano de mídia e se o valor está dentro do orçamento que dispõe para a mídia prevista para o cliente. Além disso, a agência precisará ser remunerada em no mínimo 20% do total patrocinado – e quem paga é o projeto, não o patrocinador.

Geralmente os projetos são recebidos e analisados por diretores de marketing. Se este for o caso, deve-se elaborar um material onde fiquem bem claras as contrapartidas oferecidas, ou seja, onde e como a logomarca será veiculada, qual o perfil do público, a estratégia de ação, o plano de mídia e o espaço que será oferecido ao patrocinador. O projeto deve servir como um meio de comunicação e venda do patrocinador junto ao seu público, pois existem metas de vendas a serem alcançadas.

Conhecer a estratégia de marketing do patrocinador e “calçar os sapatos” de quem analisa o projeto é uma preciosa dica para quem pretende alcançar o sucesso na captação de recursos.

Texto publicado no Jornal O Esportivo - edição de maio 2012

sexta-feira, 13 de abril de 2012

INSCRIÇÕES ABERTAS PARA O FUNDO MUNICIPAL DA CULTURA DE FLORIANÓPOLIS


A PROJETA Planejamento e Marketing oferece serviços de elaboração e encaminhamento de projetos para esta fonte de recurso. Entrem em contato (48) 3025-6793 ou clarissa@projetaonline.com.br

segunda-feira, 12 de março de 2012

Dicas para captação de patrocínio através da Lei de Incentivo ao Esporte

Para obter sucesso na captação de patrocínio através da Lei de Incentivo ao Esporte, o proponente deve ficar atento a algumas dicas. A primeira delas diz respeito ao planejamento do projeto, que deve considerar a necessidade futura de obter um patrocinador. É preciso planejar ações que possam ser atrativas ao patrocínio e contrapartidas em marketing (o que será oferecido aos patrocinadores em troca do dinheiro). Lembre-se que somente expor a logomarca do patrocinador é insuficiente. Ele precisa vender produtos ou comunicar-se com o público através do seu projeto. Expor a marca será o mínimo exigido.

Quando aprovado o projeto, fique atento aos editais. Muitas empresas patrocinadoras publicam seus editais de patrocínio pela internet para selecionarem os projetos que irão apoiar no ano seguinte.

Elabore uma apresentação comercial, que possa ser acessada impressa ou por e-mail. Um patrocinador terá cerca de 3 minutos para ler este material, portanto, comunique-se com objetividade, clareza e criatividade. Use mais imagens e menos textos, e não deixe de dizer o que é essencial: o patrocinador deverá entender seu projeto em poucas linhas, assim como saber quanto irá investir e qual será seu retorno.

Faça uma verdadeira campanha de captação de recursos: envolva pessoas e empresas para apoiarem o projeto, colete depoimentos, monte um mailing e envie um e-mail marketing. Organize seu trabalho, estabeleça metas e resultados desejados dentro de um prazo. Mas atenção: nunca peça uma “ajudinha”, não peça esmolas! Venda seu projeto como um produto valioso, e sempre ofereça algo em troca, até às pessoas físicas que lhe apoiarem.

Pesquise tudo sobre os patrocinadores. Investigue. Descubra quais as empresas que geralmente patrocinam projetos, quanto investem e em quais tipos de projetos. Descubra como essas empresas selecionam os projetos que irão apoiar (edital ou diretamente). No site do Ministério do Esporte é possível encontrar uma lista destas empresas patrocinadoras.

A captação de patrocinadores pode levar de 6 meses a 1 ano. Caso não tenha como se dedicar a esta tarefa, contrate serviços especializados. Existem empresas e profissionais especialistas neste tipo de trabalho.

Texto publicado no Jornal O ESPORTIVO, de fevereiro de 2012.

sexta-feira, 2 de março de 2012

NOVIDADES NA LEI ROUANET 2012


O Ministério da Cultura publicou recentemente nova Instrução Normativa para regularizar os procedimentos de apresentação, recebimento, análise, aprovação, execução, acompanhamento e prestação de contas de propostas culturais encaminhadas à Lei Rouanet.

A IN 1, de 09 de fevereiro de 2012 está redigida de uma forma mais simples, detalhada e completa, facilitando ao proponente o entendimento de todo o processo de encaminhamento de propostas culturais ao Ministério da Cultura. A nova legislação estabelece condições e limites para a utilização dos recursos, em consonância com o Plano Plurianual e com a Lei de Diretrizes Orçamentárias - LDO: para fins de cumprimento ao pricípio da não concentração, haverá um número limite de projetos a serem recebidos pelo MinC, sendo ele:

- Artes Cênicas: até 1.500 projetos
- Artes Visuais: até 600 projetos
- Audiovisual: até 1.200 projetos
- Humanidades: até 900 projetos
- Música: até 1.500 projetos
- Patrimônio Cultural: até 600 projetos

Além deste limite, o proponente também ficará limitado ao número e valor de projetos a ser proposto por ano. Pessoas físicas poderão ter até 2 projetos e pessoas jurídicas poderão ter até 5 projetos ativos no Salic Web. O somatório dos orçamentos dos projetos propostos estará limitado a um percentual do valor anual autorizado para renúncia fiscal, sendo 3% para pessoas físicas e 0,05% para pessoas jurídicas.

A nova instrução normativa entrou em vigor na data de sua publicação. As novas regras são válidas para todos os projetos encaminhados e aprovados pela Lei Rouanet, inclusive aqueles com data anterior à instrução normativa. É preciso que o proponente fique atento a esta informações e confira as atualizações da nova legislação.

Na data de hoje, o Ministério da Cultura divulgou dados sobre os recursos captados no ano de 2011. Os relatórios publicados pelo MinC trazem dados sobre o total aprovado e captado por pessoas físicas e jurídicas, assim como dados sobre os valores patrocinados por pessoas físicas e jurídicas, além do número de projetos por área.

Relatório Lei Rouanet 2011

Relação de proponentes pessoa física

Relação de proponentes pessoa jurídica

Relação de incentivadores pessoa física

Relação de incentivadores pessoa jurídica

Relação de projetos captados por área e por segmento cultural

sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

LEI DE INCENTIVO X PATROCÍNIO

A exemplo da Lei Rouanet, na área de cultura, o Ministério do Esporte dispõe de um mecanismo de incentivo a projetos esportivos, para financiamento de ações na área de esporte educacional, de participação e de rendimento. Através da Lei de Incentivo ao Esporte (Lei 11.438, de 29 de dezembro de 2006) foram captados R$ 430 milhões entre os anos de 2007 e 2010, aplicados em projetos esportivos de cerca de 90 modalidades diferentes. A estimativa de captação do Ministério do Esporte para o ano de 2011 foi de R$ 300 milhões, considerando a aprovação de 558 projetos, sendo destes, 42 projetos propostos por entidades catarinenses.

Os números apresentados, entretanto, não mostram uma das maiores dificuldades do mecanismo, que é a captação de patrocínio. Os recursos captados entre os anos de 2007 e 2010 representam 18,79% do montante aprovado para a captação naquele período. Ou seja, 81,21% dos recursos aprovados na Lei de Incentivo ao Esporte simplesmente não foram captados.
 
Esta realidade acontece, basicamente, por três fatores: O primeiro deles é que, de acordo com a legislação, só pode ser patrocinadora a empresa tributada por lucro real. Deste universo fazem parte cerca de 4% das empresas brasileiras. Em Santa Catarina, estima-se que cerca de 50 empresas se enquadrem neste perfil. O segundo fator é que a legislação não permite o pagamento de despesas com mídia e publicidade, tornando o projeto menos atrativo para o patrocinador que deseja retorno em marketing. Por fim, o último fator observado é o acesso às grandes empresas patrocinadoras. Os diretores de marketing raramente recebem os proponentes pessoalmente para apresentação de seus projetos.

Para aumentar as chances de captação dos projetos incentivados bastaria uma pequena mudança na legislação: que todas as empresas brasileiras (tributadas por lucro real ou presumido) pudessem se enquadrar como patrocinadoras de projetos esportivos. Desta forma teríamos cerca de 6 milhões de possíveis patrocinadores. Enquanto isso não acontece, o proponente deve ficar atento a algumas dicas para captar recursos para seus projetos.

FIQUE DE OLHO

(1) Planeje as ações do projeto considerando que será necessário captar um patrocinador – planeje contrapartidas em marketing; (2) Fique atento aos editais de patrocínio publicados na internet. As maiores empresas patrocinadoras que utilizam mecanismos incentivados publicam editais anuais para a seleção de projetos; (3) Elabore uma apresentação comercial resumida sobre seu projeto, que possa ser acessada via internet em até 3 minutos. Nesta apresentação, o patrocinador deve entender o projeto e ser atraído por suas contrapartidas de marketing. Mostre cotas de patrocínio e retorno por cota; (4) Faça uma verdadeira campanha de captação: envolva pessoas físicas e jurídicas para apoiarem seu projeto, mas atenção: nunca peça uma “ajudinha”, venda o projeto como um produto valioso, e sempre ofereça algo em troca, mesmo às pessoas físicas que lhe apoiarem; (5) Organize um mailing das empresas que tem o mesmo perfil de seu projeto (dica: analise o perfil de seu público-alvo e encontre similaridades com o público-alvo do patrocinador), descubra se são optantes por lucro real e a forma como recebem projetos para análise e (6) Se não tiver tempo para todo este empenho, contrate serviços especializados.


Rua Vera Linhares de Andrade, 2.201, Sala 302 - Centro Executivo Jardim Itália - Córrego Grande - Florianópolis - SC
CEP 88037-395 - Tel.: (48) 3025-6793 | www.projetaonline.com.br
Todos os direitos reservados -